• imagem email contato@ofirconsultoria.com.br
  • imagem celular +55 (83) 9 8790-1544
Blog

Marketing Digital | Aprenda como aplicar no segmento imobiliário em 2020

Marketing Digital é o conjunto de táticas digitais que negócios (ou pessoas) utilizam para atingir seus objetivos de marketing. Essas táticas são implementadas por meio de canais como SEO, mídia paga, e-mail e seus principais objetivos são: adquirir clientes, desenvolver uma marca e se conectar com o público-alvo.

O marketing digital mudou a maneira como nos relacionamos com o mercado, produtos e marcas.

Esse termo, marketing digital, se tornou popular logo no início da década de 2000.

Com o aumento de usuários de internet e na forma como eles se comunicam entre si, o marketing digital fez as empresas repensarem a forma com que alcançam seus consumidores e vendem seus produtos.

Hoje, o e-commerce é uma das maiores modalidades de comércio, movimentando bilhões a cada ano. E isso se deve, em grande parte, a diversas estratégias de marketing digital.

Marketing é mover o mercado e digital significa fazer isso por meios que não são presenciais, como o antigo (e ainda existente) porta a porta.O marketing digital não é feito apenas de computadores, até porque, hoje, mesmo um relógio pode funcionar como um computador. Ainda não mencionei smartphones, apps, anúncios no Facebook ou blogs, nem nada relacionado com isso.

Sabe por quê? O marketing digital vai muito além da internet.

A maioria das pessoas acaba tendo uma ideia vaga do que é marketing digital. Mas quando queremos uma definição simples e fácil de memorizar, é que a coisa complica.

Eu construí minha carreira empreendendo pela internet e posso garantir para você: aprender como usar marketing digital pode transformar os seus negócios para sempre.

Digo isso porque já ajudei centenas de empresas ao redor do mundo, e pelo menos uma dezena de negócios no Brasil.

Se você quiser saber mais sobre marketing e como ele evoluiu para o digital, leia esse outro guia completo.

Neste texto, vou mostrar tudo o que sei sobre marketing digital, dando dicas e exemplos práticos para que você também seja capaz de ganhar dinheiro e alcançar os melhores resultados.

Espero que ajude você. Caso fique com qualquer dúvida, deixe o seu comentário no final da página. Será um prazer respondê-lo.

Boa leitura!

O Que é Marketing Digital?

O marketing digital mudou a maneira como nos relacionamos com o mercado, produtos e marcas.

Esse termo, marketing digital, se tornou popular logo no início da década de 2000.

Com o aumento de usuários de internet e na forma como eles se comunicam entre si, o marketing digital fez as empresas repensarem a forma com que alcançam seus consumidores e vendem seus produtos.

Hoje, o e-commerce é uma das maiores modalidades de comérciomovimentando bilhões a cada ano. E isso se deve, em grande parte, a diversas estratégias de marketing digital.

Mas a realidade é que o conceito de marketing digital já existe há bastante tempo.

Tipo, BASTANTE tempo MESMO. Aproximadamente 100 anos para ser exato.

Ok, não se trata do primeiro anúncio pago por clique, mas entenda: marketing é mover o mercado e digital significa fazer isso por meios que não são presenciais, como o antigo (e ainda existente) porta a porta.

O marketing digital não é feito apenas de computadores, até porque, hoje, mesmo um relógio pode funcionar como um computador.

Ainda não mencionei smartphones, apps, anúncios no Facebook ou blogs, nem nada relacionado com isso.

Sabe por quê? O marketing digital vai muito além da internet.

A maioria das pessoas acaba tendo uma ideia vaga do que é marketing digital. Mas quando queremos uma definição simples e fácil de memorizar, é que a coisa complica.

Quando fui atualizar esse post, vi que a definição de marketing digital pela Wikipedia, tinha mudado desde a primeira vez que escrevi (ainda bem).

Antes, a explicação era a seguinte: Marketing digital é um termo guarda-chuva para o visado, mensurável e interativo marketing de produtos ou serviços usando…

Blá, blá, blá…

Hoje, a definição que encontramos na página do termo “marketing digital”, na Wikipedia , não está de toda errada, mas ainda é muito complicada e longa para ser memorizada:

“Marketing digital são ações de comunicação que as empresas podem utilizar por meio da internet, da telefonia celular e outros meios digitais, para assim divulgar e comercializar seus produtos, conquistando novos clientes e melhorando a sua rede de relacionamentos.”

Tenho quase certeza que você perdeu a atenção no trecho “(…) empresas podem utilizar por meio da (…)“, logo na primeira linha da definição.

Quando quero uma definição de marketing digital, quero algo fácil, que eu possa me lembrar e falar para quem me perguntar o que é marketing digital. Algo como isso:

Marketing digital é um conjunto de estratégias com o objetivo de gerar resultado online e offline para empresas, marcas e pessoas.

Melhorou, certo?

Agora temos uma definição simples e memorável do que é e para que serve o marketing digital.

A cada dia, esse tipo de marketing ganha mais importância nas empresas. Muitas já utilizam apenas ele.

Isso porque, diferentemente de outras modalidades – que são somente aplicadas a negócios de grande porte –, o marketing digital é popular e acessível.

Ele pode ser realizado por qualquer tipo de empresa, independentemente do seu tamanho ou verba para investimento.

Vantagens do Marketing Digital

Marketing Digital: O Que É, Como Fazer e Estratégias

Marketing Digital é o conjunto de táticas digitais que negócios (ou pessoas) utilizam para atingir seus objetivos de marketing. Essas táticas são implementadas por meio de canais como SEO, mídia paga, e-mail e seus principais objetivos são: adquirir clientes, desenvolver uma marca e se conectar com o público-alvo.

Eu construí minha carreira empreendendo pela internet e posso garantir para você: aprender como usar marketing digital pode transformar os seus negócios para sempre.

Digo isso porque já ajudei empresas locais a terem abrangências nacional e até internacional

Neste texto, vou mostrar tudo o que sei sobre marketing digital, dando dicas e exemplos práticos para que você também seja capaz de ganhar dinheiro e alcançar os melhores resultados.

Espero que ajude você. Caso fique com qualquer dúvida, deixe o seu comentário no final da página. Será um prazer respondê-lo.

Boa leitura!

O Que é Marketing Digital?

O marketing digital mudou a maneira como nos relacionamos com o mercado, produtos e marcas.

Esse termo, marketing digital, se tornou popular logo no início da década de 2000.

Com o aumento de usuários de internet e na forma como eles se comunicam entre si, o marketing digital fez as empresas repensarem a forma com que alcançam seus consumidores e vendem seus produtos.

Hoje, o e-commerce é uma das maiores modalidades de comércio, movimentando bilhões a cada ano. E isso se deve, em grande parte, a diversas estratégias de marketing digital.

Mas a realidade é que o conceito de marketing digital já existe há bastante tempo.

Tipo, BASTANTE tempo MESMO. Aproximadamente 100 anos para ser exato.

O primeiro profissional de marketing digital na história:

O nome dele: Guglielmo Marconi.

Talvez você está se perguntando: “Como assim? O que esse físico italiano tem a ver com marketing digital?”

Pois é. Em 1896, ele foi a primeira pessoa a realizar uma transmissão pública com sinais wireless.

Foi esse cara, Marconi, que inventou o rádio.

Pouco tempo após essa primeira demonstração, realizada na Inglaterra, a invenção de Marconi possibilitou a transmissão de sinais em Código Morse através do mar, em águas abertas.

O rádio, como tecnologia, levou mais 10 anos para alcançar o grande público. Como você deve imaginar, o seu potencial para vender os mais variados produtos e serviços foi descoberto muito rápido.

A primeira transmissão de rádio ao vivo foi de uma performance de ópera no MET – Museu Metropolitano de Arte, em Nova York. Adivinhe o que as pessoas fizeram depois disso?

Compraram ingressos para óperas!

E, assim, o marketing digital nasceu.

Ok, não se trata do primeiro anúncio pago por clique, mas entenda: marketing é mover o mercado e digital significa fazer isso por meios que não são presenciais, como o antigo (e ainda existente) porta a porta.

O marketing digital não é feito apenas de computadores, até porque, hoje, mesmo um relógio pode funcionar como um computador.

Ainda não mencionei smartphones, apps, anúncios no Facebook ou blogs, nem nada relacionado com isso.

Sabe por quê? O marketing digital vai muito além da internet.

A maioria das pessoas acaba tendo uma ideia vaga do que é marketing digital. Mas quando queremos uma definição simples e fácil de memorizar, é que a coisa complica.

Quando fui atualizar esse post, vi que a definição de marketing digital pela Wikipedia, tinha mudado desde a primeira vez que escrevi (ainda bem).

Antes, a explicação era a seguinte: Marketing digital é um termo guarda-chuva para o visado, mensurável e interativo marketing de produtos ou serviços usando…

Hoje, a definição que encontramos na página do termo “marketing digital”, na Wikipedia, não está de toda errada, mas ainda é muito complicada e longa para ser memorizada:

“Marketing digital são ações de comunicação que as empresas podem utilizar por meio da internet, da telefonia celular e outros meios digitais, para assim divulgar e comercializar seus produtos, conquistando novos clientes e melhorando a sua rede de relacionamentos.”

Tenho quase certeza que você perdeu a atenção no trecho “(…) empresas podem utilizar por meio da (…)“, logo na primeira linha da definição.

Quando quero uma definição de marketing digital, quero algo fácil, que eu possa me lembrar e falar para quem me perguntar o que é marketing digital. Algo como isso:

Marketing digital é um conjunto de estratégias com o objetivo de gerar resultado online e offline para empresas, marcas e pessoas.

Melhorou, certo?

Agora temos uma definição simples e memorável do que é e para que serve o marketing digital.

A cada dia, esse tipo de marketing ganha mais importância nas empresas. Muitas já utilizam apenas ele.

Isso porque, diferentemente de outras modalidades – que são somente aplicadas a negócios de grande porte –, o marketing digital é popular e acessível.

Ele pode ser realizado por qualquer tipo de empresa, independentemente do seu tamanho ou verba para investimento.

Por isso é muito importante desvincular a ideia de que marketing digital só tem a ver com retargeting, Google Ads (antigo AdWords) ou Facebook Ads.

Significado de Marketing Digital

Por mais que o marketing digital esteja ligado a qualquer tipo de aparelho eletrônico, utilizado para vender ou anunciar um produto ou serviço, cada canal, cada mídia, tem sua peculiaridade.

Vender através de um blog é totalmente diferente de vender através de um e-mail marketing.

Mesmo que hoje exista a chamada “cultura da convergência“, onde diversas mídias conversam entre si, focando em um único objetivo, deve-se estar atento para o significado de cada canal de vendas dentro do marketing digital.

Como o portal de estatística Statista, juntamente com o McKinsey Global Institute mostraram em uma pesquisa de 2012, a rapidez com que novos canais estão sendo absorvidos é muito maior que há 30, 40 anos atrás.

Vender através do rádio não é a mesma coisa do que vender pela televisão, que é totalmente diferente de vender através de um e-mail marketing.

Vender é vender. É entregar um serviço ou produto em troca de dinheiro. Mas saber vender já é outra história.

Saber vender em determinado veículo, sabendo identificar e entender a diferença de cada um, além do tipo de consumidor de cada um, vai determinar o bom vendedor.

Então, mais importante que saber o significado, é entender a diferença entre cada um dos canais que fazem parte do marketing digital e saber utilizar o melhor de cada um.

Já vimos que o marketing digital não é tão simples como grande parte das pessoas imagina que seja.

Quando se trata de marketing digital, é importante entender que, acima de tudo, ele é um conceito dinâmico.

O marketing digital se renova a cada instante. Estratégias, públicos, canais. Dentro do universo digital, TUDO está em constante mudança.

O profissional de marketing digital deve estar sempre atualizado, atuando de modo relevante perante o cliente, a concorrência e os demais operadores do marketing no mundo digital.

A melhor definição de Marketing Digital é: um meio de se comunicar com possíveis clientes de forma online e dinâmica, seguindo as tendências tecnológicas.

O surgimento do Marketing Digital

Eu falei sobre o papel do rádio há pouco, mas não dá para negar que a internet, que deu as caras pela primeira vez no final da década de 1960, é a grande responsável pelo desenvolvimento do marketing digital.

Por outro lado, é claro que, nessa época, esse tipo de marketing era tão inacessível para os usuários quanto para as empresas.

Foi na década de 90, com a verdadeira popularização da web, que o marketing digital começou a ganhar força em um formato parecido com o que conhecemos hoje.

Nessa época, com o surgimento dos primeiros protótipos de redes sociais e algumas formas de comércio eletrônico e blogs, as empresas começaram a entender a importância de se fazerem presentes em todo esse novo universo.

Os anos 90 também trouxeram as primeiras grandes ferramentas de busca, como Yahoo, MSN, AOL e Altavista – totalmente rudimentares se comparadas com o Google de hoje.

Na mesma época, os e-mails também ganharam uma imensa popularidade, já inaugurando as primeiras campanhas de e-mail marketing.

No mesmo barco, a Amazon fez sua primeira venda de um livro online em 1995.

Mas o verdadeiro boom do marketing digital foi a partir do começo dos anos 2000, com as redes sociais começando a bombar e o Google ganhando cada vez mais espaço.

Hoje, o marketing digital continua avançando rapidamente e cada vez mais conectado com sua bandeira: fazer com que o cliente chegue até as empresas, e não o contrário.

A Importância do Marketing Digital

Você se lembra do outdoor?

Ainda temos este tipo de veículo de comunicação.

Em 2015, vários dos meus clientes ainda gastavam centenas de milhões de dólares em propagandas em outdoors.

Infelizmente isso vem diminuindo muito.

Faça-me um favor, a próxima vez que você estiver dando carona a um amigo, dê uma olhadinha para o lado direito.

Só por um segundo.

Mesmo agora, provavelmente ele estará olhando para o telefone.

Poxa, em um mundo onde 9% de todos os motoristas estão ao telefone de um jeito ou de outro (enviando mensagem ou ligando), a qualquer hora do dia, como nós podemos pensar que os outdoors têm algum futuro?

Se nem mesmo o motorista está olhando para a rua mais, quem vai ficar olhando pra propagandas em outdoors?

E isso sem considerar os carros autônomos, nos quais a Apple e o Google estão trabalhando (você sabe que isso vai acontecer).

Elon Musk suspeita que eles estarão por aí muito em breve.

Isso significa que você não tem tanto tempo para descobrir essas coisas de como iniciar marketing digital antes de você poder desligar sua velha impressora do tempo da escola e fechar a loja.

A participação de pessoas gastando mais tempo usando aparelhos eletrônicos só vai crescer daqui por diante.

Com os americanos gastando 11 horas ou mais em aparelhos eletrônicos todos os dias, não falta muito até nós gastarmos TODO o nosso tempo no mundo digital.

E sim, apesar do marketing na internet ser a razão pela qual garotos de 25 anos podem agora sentar na sua sala de estar e ganhar 2 milhões por ano jogando vídeo-games, o marketing offline ainda tem o seu lugar.

Agora, vamos continuar e aprender como fazer marketing digital e suas vantagens.

Vantagens do Marketing Digital

Pare agora mesmo, onde quer que você esteja, e dê uma pequena olhada ao seu redor.

Identifique, em 2 segundos, pelo menos 1 pessoa olhando para alguma tela.

Mesmo que você esteja isolado, de férias no campo, é impossível não passar nesse teste. Afinal, você está olhando para uma tela.

O digital está ao nosso redor. Mesmo quando não conseguimos vê-lo.

E, da mesma forma que o digital é cada vez mais popular, o marketing digital também cresce a cada dia, na mesma proporção.

A quantidade de pessoas que estão conectadas hoje é a quantidade de pessoas que podem ser alcançadas pelo marketing digital. E esse número só cresce a cada minuto, no mundo todo.

O marketing digital veio para, de certa forma, ampliar e facilitar as vantagens que o marketing tradicional já possuía.

E não somente isso, mas também trouxe inúmeras vantagens, seja para as empresas – micro, pequenas, médias e grandes –, seja para o consumidor.

O marketing digital é mais barato que o tradicional e pode trazer um ROI imenso.

Talvez essa seja a vantagem que mais chama atenção de quem tem interesse em começar a investir no marketing digital.

Se comparado com os antigos valores direcionados ao marketing tradicional, o marketing digital é muito mais barato, além de fornecer resultados mais precisos e ROI – retorno sobre o investimento – muito maior.

Mas é preciso ter em mente que, ainda que mais barato que o tradicional, o marketing digital de qualidade é realizado por profissionais que sabem o que estão fazendo.

Existe muito conhecimento e trabalho envolvido em um “simples” anúncio na primeira página de resultados de uma pesquisa no Google, por exemplo.

Uma consultoria em marketing digital deve estar preparada para entregar dados e informações precisas com relação à empresa que deseja investir, seu produto e o mercado que deseja operar.

É a partir disso que o real valor do marketing digital será aplicado.

Pessoas habilitadas e especializadas em marketing digital, em design gráfico, redação, pesquisa, SEO, que sabem como fazer mídia digital…

Quem paga por marketing digital, paga por tudo isso e mais um pouco ainda.

É preciso estar atento a tudo que será entregue em uma consultoria e plano de ação em marketing digital.

O importante é pagar por resultados. E resultados em marketing digital são fáceis de serem extraídos e analisados.

Por isso, um bom profissional irá entregar um serviço eficiente e que alcance objetivos propostos. E o valor que sua empresa terá agregado por um marketing digital eficiente não tem preço.

Dados

Podem ser obtidos facilmente em uma campanha de marketing digital.

Sério, é simplesmente INCRÍVEL o que o uso de análise de dados e big data permitem para quem lida com marketing digital.

Através da análise de um número gigantesco de dados, o data marketing é utilizado em tomadas de decisões estratégicas em diversas das principais empresas do mundo.

São dados que permitem a gestores e operadores do marketing conhecer a fundo particularidades de seus clientes e usuários, além de cruzar informações, para descobrir tendências e comportamentos atuais ou, até mesmo, futuros.

É assim que, muitas vezes, parece que nossa internet, nossas redes sociais, caixa de e-mails e sites, parecem estar personalizados para nós, oferecendo ofertas de algo que precisamos naquele instante ou que poderá ser útil em um futuro próximo.

Quando navegamos pela internet, vamos deixando pequenas “migalhas” para trás, vindos de nossos computadores ou smartphones.

É com essa quantidade enorme de migalhas que essas empresas trabalham, buscando tornar a experiência do usuário cada vez mais completa, imersiva e pessoal.

A coleta, análise e uso de dados ainda é um dos pontos mais complexos e caros dentro do marketing digital.

Afinal, são inúmeros detalhes, questões e tecnologias envolvidas que permitem a uma empresa basear suas decisões estratégicas inteiramente nos resultados vindos de uma análise de dados.

Mas essa prática não está restrita somente aos gigantes do mercado.

O uso de dados no marketing digital já se tornou indispensável, e o mercado está se atualizando, oferecendo soluções práticas e acessíveis a diversos tamanhos de negócios e empresas.

Como Fazer Marketing Digital? Tudo o Que Você Precisa Saber

Assim como o marketing tradicional, o marketing digital demanda planejamento, estratégia, pesquisa e acompanhamento constante do trabalho executado.

Mas, para entender e realizar o que faz o marketing digital, é preciso conhecer toda a base e conceito do marketing tradicional, desde sua origem.

A ideia central do marketing não é somente anunciar algo com o objetivo final de vender aquilo. Se fosse assim tão simples, não existiria toda uma cultura em torno do marketing e seu impacto nas pessoas.

Muitos o consideram como uma ciência. Outros consideram que saber fazer marketing vem muito da inspiração e do dom.

A verdade é que o marketing utiliza diversas disciplinas para identificar mercados-alvo, suas necessidades e desejos, e entregar não somente produtos e serviços, mas valor, gerando lucro para quem o utiliza.

A AMA – American Marketing Association traz sua definição de marketing ampliando o escopo do conceito.

Segundo a AMA, além de ser uma série de atividades, o marketing é também um conjunto de processos e instituições, focados na criação e comunicação de ofertas que tenham valor não só para os consumidores, mas para quem produz e para a sociedade como um todo.

A origem do marketing como prática comercial, é bastante difícil de se rastrear.

Conceitos primitivos do marketing atual podem ser encontrados em registros fenícios, um milênio antes de Cristo. Hábeis produtores, manufatores e comerciantes, foram os primeiros a manter uma rede comercial global.

Os 4P´s do Marketing – PRODUTO, PREÇO, PRAÇA E PROMOÇÃO

Para atuar com eficiência dentro do mercado, é necessário segmentá-lo.

Segmentar o mercado significa destinar os esforços de marketing em mercados e nichos específicos, aumentando a precisão de alvo de uma empresa.

Segmentar significa ser mais eficiente servindo apenas um subconjunto do mercado total.

A segmentação de mercado deve trabalhar em conformidade com o posicionamento de mercado, visto que este auxilia a criação de associações do consumidor com relação à marca.

Um posicionamento eficiente mostra ao consumidor qual problema seu produto ou serviço é capaz de resolver ou em que é melhor que o produto ou serviço que ele já esteja utilizando.

Para que essa empresa consiga segmentar seu mercado e posicionar seu produto ou serviço corretamente, o planejamento deve ser sustentado por estratégias de marketing.

O ideal é que essas estratégias sejam desenhadas seguindo alguns conceitos básicos, que contemplem o essencial ao consumidor:

Entregar o produto ideal para o público certo, com um preço justo e lucrativo, promovendo através dos canais certos para ser capaz de dialogar com cada tipo de público, de forma a distribuir seu produto nos locais onde seus clientes e concorrentes estão inseridos.

Produto

Você não estaria aqui, lendo este conteúdo, e eu não estaria aqui falando tudo isso, se meu negócio não tivesse nada a oferecer.

Desde que o mundo é mundo, uma pessoa possui algo que outra deseja. Afinal, nunca estamos satisfeitos, não é mesmo?

Mas tirando os meios ilícitos de se conseguir aquilo que outra pessoa possui, é através da compra e venda de produtos que o mercado se baseia.

Você pode se apavorar com todos os termos e conceitos da Economia, ficar impressionado com os números, gráficos e implicações do mercado e das bolsas de valores do mundo todo.

Mas tudo, TUDO, se resume a isso: eu tenho, você não tem. Eu vendo, você compra.

Um produto é qualquer coisa que uma empresa consiga produzir e disponibilizar por um valor, e que outra pessoa queira adquirir e esteja disposta a pagar aquele valor.

Produto está ligado à ideia de satisfazer um desejo ou uma necessidade de um mercado.

É claro que essa ideia evoluiu – e muito – ao ponto de uma empresa gerar a necessidade do seu produto. Afinal, quem disse que você PRECISAVA de um iPod? Isso mesmo: a Apple, criadora do iPod.

Preço

Quando se trata de preço, muitos comerciantes se preocupam em saber se estão determinando preços corretos. Deve-se levar em conta os custos e despesas fixas e variáveis para sua comercialização.

Por um lado, busca-se ser justo perante o consumidor, entregando um preço real para a aquisição de um produto ou serviço.

Mas por outro, o medo de estar prejudicando o mercado, com preços muito mais baixos que o concorrente, fazem o comerciante repensar seu modo de precificar.

Isso tudo sem falar da necessidade de maximizar os lucros com aquilo que está vendendo.

Antes de tudo, deve-se esclarecer os objetivos que o comerciante busca na determinação de preços.

Podem ser simplesmente a sobrevivência do negócio, o aumento máximo do lucro atual, ser relevante perante o mercado, liderar o mercado pela qualidade, ou desnatar o mercado.

Então, uma forma de precificação é determinar a demanda pelo que se está comercializando.

Nesse caso, utiliza-se um conjunto de técnicas qualitativas e quantitativas para determinar o valor esperado de vendas de um produto ou categoria de produtos.

Um outro modo de determinação de preços é a estimativa de custos.

Dessa maneira, cobra-se um preço que pelo menos cubra os custos totais em determinado nível de produção.

Analisando a concorrência e o mercado em que se está inserido também é uma maneira de manter o preço dentro de um espectro real do que está sendo praticado.

Lembre-se: o preço tem total relação com a percepção de valor do produto ou serviço comercializado perante o público.

Visto que a sobrevivência e geração de renda para a empresa vem somente desse P, é importante estar atento à forma como seu produto é ofertado, distribuído e comercializado.

Se sua marca tiver valor para o cliente, ele não irá se importar em pagar mais pelo seu produto.

Praça

O P de “praça” causa uma certa confusão em algumas pessoas.

Isso porque não é muito clara a ideia da palavra “praça” no marketing. O conceito faz mais sentido em inglês, já que praça diz respeito à Placement.

O placement seria algo como colocação no mercado. Diz respeito a como o consumidor entra em contato com um produto. Trata-se do lugar onde algo é anunciado e vendido.

Para entender a ideia de Praça, é possível realizar algumas perguntas acerca do produto ou serviço disponibilizado:

  • Como seus concorrentes podem ser encontrados?
  • Onde seu cliente entra em contato com seu produto?
  • Quais os canais de distribuição disponíveis?
  • Quais os meios digitais de relacionamento com o cliente?

As estratégias e o planejamento de praça são diretamente dependentes do seu entendimento sobre o público-alvo ao qual se destina o produto.

Isso porque é preciso saber quais canais seu consumidor utiliza para adquirir seus produtos e quais os melhores locais para oferecê-los.

Dentro do marketing digital, é possível que as ideias de praça e promoção sejam apresentadas e representadas no mesmo local. Hoje, é possível anunciar um produto e já vendê-lo sem sair do Facebook, por exemplo.

Então, esteja atento aos diversos meios e canais online disponíveis para distribuição do seu produto.

O conceito de praça também está ligado à distribuição do produto, com o objetivo de disponibilizá-lo ao consumidor.

Para isso acontecer, é preciso existir uma rede eficiente de distribuição, que envolva cliente, fornecedor e revendedor. Isso é também conhecido como uma cadeia logística.

Promoção

OUTLET! 50% OFF! LEVE 3, PAGUE 2!

Admita: são as primeiras palavras que vem à nossa cabeça quando falamos em promoção.

Mas não se engane: o P de Promoção dentro do Mix de Marketing não tem a ver com essas ofertas de descontos imperdíveis.

Como eu disse, os 4Ps do marketing devem trabalhar em união. Utilizar somente alguns em detrimento de outros, não sustenta uma estratégia efetiva de marketing.

Afinal, de que adianta produzir uma oferta, a um preço acessível, disponibilizá-la em diversos pontos de venda, se as pessoas não souberem que essa sua oferta, ou produto, está disponível?

Você viu que o conceito de praça está diretamente ligado à promoção, já que o modo como um produto é apresentado em seu ponto de venda, interfere diretamente no sucesso de vendas.

Mas não se deve confiar somente no modo como seu produto é apresentado na praça para que ele seja vendido. Afinal, esse não é a única preocupação da estratégia de praça. Para isso existe o P de Promoção.

É aqui onde os esforços de comunicação serão direcionados, para informar e persuadir o mercado consumidor sobre as características do seu produto, gerando a necessidade de aquisição.

Quando falamos de marketing digital, é que a coisa fica ainda mais “complicada”. Digo complicada porque, sem promoção, é praticamente IMPOSSÍVEL um negócio online sobreviver.

Google Ads, Facebook Ads, LinkedIn Ads, as conhecidas mídias digitais, já são mais que imprescindíveis para o profissional de marketing digital.

Mas é preciso lembrar que promoção não é só dar informações acerca dos produtos. Promoção, ainda mais no Marketing 4.0, é relacionamento com o cliente.

A ideia de criar valor de marca está muito baseada na maneira como ela se comunica com seu cliente, como responde seus anseios e se relaciona, não somente com quem adquire seu produto, mas com quem está dentro do seu espectro de público-alvo.

Você confia em quem você mantém um relacionamento e comunicação constante. A mesma coisa funciona com marcas, produtos e serviços.

É claro que o marketing vai muito além de 4 palavras que começam com P.

Mas é possível ter uma ideia muito clara e objetiva do como funciona e como pode ser útil para seu negócio.

Os Principais Conceitos de Marketing Digital

É melhor o feito imperfeito do que o não perfeito. Eu não sei o autor dessa frase mas uso muito nos meus treinamentos e nas minhas palestras, o importante é fazer, e se falhar, corrigir rapidamente. Dessa forma, você consegue evoluir no seu produto ou serviço em paralelo ao mercado, evitando perca de tempo no “achismo” ou no empirismo. O fundador do Linkedin afirma que se você não tiver vergonha da versão do seu primeiro protótipo é porque você o lançou tarde demais.

Antes de avançarmos, para que não fique nenhuma dúvida de ordem prática, é fundamental conhecer os principais conceitos de marketing digital.

Eles vão aparecer várias vezes ao longo deste guia – e na sua estratégia, é claro.

Persona

É o seu perfil de cliente ideal com suas características mais particulares.

A persona tem nome, idade, renda, e estilo de vida específicos.

Geralmente, é definida a partir da observação da própria carteira de clientes de uma empresa. É como se você criasse uma pessoa que terá uma conversa sobre o seu momento, se faz necessário saber em que fase ela se encontra para que você não aborde assuntos ou temas que não seja propício para aquela situação.

Qual é a melhor estratégia de marketing digital?

profissional observando parede com título estratégia de marketing

Os 2 grandes grupos do marketing digital são o online e o offline.

Dito isso, já que falarei sobre como fazer marketing na internet em um guia separado, eu só mencionarei as diferentes áreas do marketing digital online aqui para que fique completo.

As 7 grandes categorias do marketing digital online que podem ter o foco no segmento imobiliário, são:

  1. Otimização dos mecanismos de busca (SEO)
  2. Marketing dos mecanismos de busca (SEM)
  3. Marketing de conteúdo
  4. Marketing de mídia Social
  5. Anúncio pague-por-clique (PPC)
  6. Marketing de afiliados
  7. E-mail marketing

Marketing de Mídias Sociais

Existe hoje uma polarização com relação às redes sociais: enquanto uns direcionam seus esforços de marketing totalmente para dentro delas, outros “sabichões” as desprezam completamente, ou deixam em segundo plano.

A verdade é que como todas as ferramentas de marketing digital, as redes sociais apoiam todos os esforços e estratégias do marketing de conteúdo.

Afinal, de nada adianta um ótimo conteúdo, produzido para aumentar suas vendas e o tráfego em seu site, se as pessoas que se interessam por esse conteúdo e produto não verem tudo o que você produziu.

É aí que entram as redes sociais, uma das maneiras mais promissoras de promover seu conteúdo. Quatro em cada dez americanos dizem que compraram algo em redes sociais. Há grande potencial lá!

É importante ter cada ferramenta em seu devido lugar, servindo para seu devido propósito, para que a estratégia de marketing digital funcione.

Por exemplo, o SEO é sobre o crescimento da sua visibilidade nos resultados dos motores de busca orgânicos. Redes sociais são motores de busca.

Isso é uma correlação muito clara a se pensar.

Não existe uma estratégia de redes sociais sem SEO. Não são duas coisas separadas. Eles funcionam como um.

Então, vamos às principais!

Marketing Imobiliário no Facebook

Simplesmente a maior rede social do mundo que ainda funciona para ações de marketing imobiliário

No Brasil, são mais de 130 milhões de usuários ativos.

Essa plataforma tem um alcance gigantesco e sem dúvida não pode ficar de fora da sua estratégia de marketing imobiliário.

Marketing imobiliário no Instagram

O Instagram já tem mais de 1 bilhão de usuários em todo o mundo. E embora a plataforma perca para o Facebook em número de usuários, o engajamento no Instagram é 15 vezes maior.

Por isso, se sua empresa ainda não tem uma conta no Instagram Business, já está em desvantagem. Porém, também recomendo que não só seja feito o uso dessa plataforma para o marketing imobiliário, lembre-se que a amplitude é bem maior do que uma simples rede social, mesmo que ela seja a mais forte que o seu público alvo utiliza.

Marketing Imobiliário no Youtube

As pessoas adoram assistir a um vídeo, e é para o YouTube que elas vão quando querem fazer isso.

Em uma plataforma com mais de 1 bilhão de usuários conectados, sua empresa só tem a ganhar.

Afinal, no YouTube, as pessoas assistem mais de um bilhão de horas de vídeo e geram bilhões de visualizações todos os dias.

Marketing no LinkedIn

A maior rede social de contatos profissionais do mundo tem hoje nada menos que 562 milhões de usuários em 200 países.

Use essa ferramenta para aumentar seu networking, conquistar leads e expandir a sua marca no mundo corporativo.

Marketing no Twitter

Muitas empresas deixam o Twitter de lado nas suas estratégias de marketing. Não faça como elas.

O microblog é uma ferramenta de comunicação super prática para manter contato com os usuários.

Depois de passar por um período de dificuldade, o Twitter tem se reerguido ao reprimir tuítes maliciosos, excluir contas falsas e trabalhar para tornar a plataforma “mais conversacional”.

Desde então, o número de usuários voltou a crescer e registrou 9 milhões de contas a mais no primeiro trimestre de 2019 em comparação ao anterior, totalizando 330 milhões.

Lead

É o cliente em potencial, mas lembre-se que ainda não é cliente e segundo as estatísticas, apenas 3% dos leads de topo de funil estão quentes para a compra, 7% estão dispostos a ouvir e temos incríveis 90% que a jornada de compra ainda não está ajustada para aquisição quando falamos de marketing imobiliário. Aqui tem que entrar o inbound marketing. Só as redes sociais, já não funcionam mais com tanta eficácia.

O lead é aquele consumidor que demonstrou interesse no seu produto ou serviço.

No marketing digital, ele aparece como alguém que visitou sua página e forneceu dados pessoais para receber um material informativo, por exemplo.

Funil de Vendas

É todo o percurso percorrido pelo cliente desde que ele fica sabendo da existência da sua marca até o momento em que ele efetua a compra do produto.

Com isso, a empresa passa a montar um conjunto de fases estratégicas para acompanhar o cliente nessa jornada.

Landing Page

São páginas que têm como objetivo converter visitantes ou transformá-los em leads.

Justamente por isso, elas trabalham com menos elementos do que uma página tradicional geralmente oferece.

Uma landing page pode desde oferecer e-books gratuitos (como este que você está lendo agora), assinatura de newsletters até a venda de produtos.

O importante é convidar o usuário a fazer uma ação.

SEO

A sigla para Search Engine Optimization significa otimização para mecanismos de busca.

Compreende uma série de técnicas aplicadas em um site ou blog para aumentar o tráfego orgânico na página.

Assim, as empresas ganham mais autoridade, visibilidade, e, consequentemente, mais oportunidades de vendas.

CTA

Significa “Call To Action”, ou seja, é um convite a uma ação.

A ideia é levar o consumidor que está acessando seu conteúdo ao próximo passo, que pode ser desde uma forma mais próxima de interação até a realização de uma compra.

Fluxo de Nutrição

É o fluxo de e-mails programados pela empresa para nutrir o relacionamento com o consumidor, principalmente para o marketing imobiliário, as empresas precisam implantar essa estratégia para ter um melhor desempenho de suas vendas no médio e longo prazo.

É uma forma de estreitar os laços ao passo que vai despertando cada vez mais o interesse do usuário respeito dos seus produtos ou serviços.

Estou no mercado imobiliário desde 1996, então a gente tem aí 24 anos de mercado e uma sequência de experiências de trabalho, que me fizeram chegar até aqui e me deixaram vivo dentro desse mercado, porém desde 2016 até hoje a mudança e a velocidade que tive nos resultado em meu negócio e que gerei em outros negócios imobiliários e construtoras com o marketing digital, foi fora do comum e com esse treinamento quero ajudar você a direcionar seu negócio para o "oceano azul".

Cadastre-se para receber novidades sobre o mercado imobiliário!